Pucón: Subida do Vulcão Villarrica – Chile

O Vulcão Villarrica é a principal atração de Pucón. Subir nele até o topo é uma experiência única. É preciso ter um bom preparo físico e muito fôlego para aguentar os 2.874 metros de subida até o topo do vulcão, que ainda está em atividade.

Vulcão Villarrica

Chegando ao vulcão Villarrica

Antigamente o Villarrica era chamado de “casa do demônio” ou Rucapillán, pelos indígenas que habitavam a região. Como ele esta ativo, é possível ver fumaça saindo quase que diariamente do cume, e uma das maiores erupções dele, foi em 1971, que chegou a abrir uma lastra de 4km em sua cratera.

Início da subida do vulcão Villarrica

Início da subida do vulcão Villarrica

Como dito no post sobre Pucón, chuvas e ventos fortes são frequentes na região até mesmo no verão. Pra quem vai até lá com o objetivo de subir o Vulcão Villarrica, deve ir preparado para imprevistos climáticos e prolongar a estadia na cidade. Caso isso ocorra, uma recomendação é fazer o Roteiro dos 7 Lagos para aproveitar a permanência prolongada.

Subida do Vulcão Villarrica

A subida pode ser contratada em diversas agências espalhadas pela cidade, e o valor fica em torno de $ 36.000 (R$ 128,00 em 2011) e inclui traslado do hotel até a base do vulcão, guia especializado, roupas (calça e jaqueta de nylon, botas de gelo, capacete e mochila) e ferramentas (crampons e piolet) adequadas.

Início da subida do Vulcão Villarrica

Início da subida do Vulcão Villarrica

Acordamos por volta das 5 hrs da manhã para tomar café e arrumar a mochila com as roupas e mantimentos para passar o dia (algumas frutas, 2 sanduíches, uns chocolates e um litro e meio de água por pessoa).

Vulcão Villarrica

Vulcão Villarrica

Subimos o vulcão em um grupo de 4 pessoas. Saímos às 7 horas da manhã do hotel e voltamos às 16:30 horas. Nossa aventura foi feita em 5 etapas. Primeiro caminhamos da base (1.200 m alt.) até o teleférico. Subimos com ele mais 400 metros de altitude, o que poupou em torno de uma hora de caminhada. A terceira parte foi uma caminhada de 40 minutos e uma parada para comer algo, descansar um pouco e vestir mais roupas – conforme íamos subindo o frio ia aumentando. Por último uma caminhada em zigue-zague até o topo (2.870 m).

Primeira parada da subida do Vulcão Villarrica

Primeira parada da subida do Vulcão Villarrica

O dia era lindo e a visibilidade perfeita. Porém a partir da 3ª etapa a subida ficou muito difícil, uma porque a neve estava coberta com uma camada de gelo (pois havia chovido no dia anterior) e outra por causa do vento muito forte (que dificultava se manter em pé), que além do frio, dificultou a caminhada e de apreciar com mais tempo o vulcão e a paisagem da região.

Visão do topo do Vulcão Villarrica

Visão do topo do Vulcão Villarrica

É indescritível a emoção que se sente ao alcançar o topo do vulcão. A caminhada é um sacrifício e alcançar o topo é a vitória da superação pessoal. A única coisa a lamentar é que o vento forte e frio intenso, que fez no dia, não permitiram alongar um pouco a permanência no topo da montanha.

Topo do Vulcão Villarrica

Topo do Vulcão Villarrica

A volta foi um pouco mais fácil, descemos caminhando até um pouco menos da metade do vulcão e o restante descemos de esquibunda, deslizando na neve sobre um pedaço de plástico. O que durou apenas duas horas.

Descida do Vulcão Villarrica

Descida do Vulcão Villarrica

Fotos do Vulcão Villarrica

19 Comentários para “Pucón: Subida do Vulcão Villarrica – Chile”

  1. Dayana disse:

    Essa subida é realmente emocionante! Mesmo depois das erupções do ano passado, as atividades de subida ao vulcão foram normalizadas. Tanto é que fizemos o passeio agora em maio. Vocês pegaram beeem mais neve que a gente! Na nossa vez só tinha neve até o meio do caminho.
    Aqui nesse post [http://wp.me/p7hV7E-1lb] dei umas dicas para montar o roteiro e garantir a subida ao vulcão e também falei um pouco sobre a negociação dos pacotes, para ter um precinho melhor, porque eu não sei vocês, mas achei o preço salgadinho… Espero que contribua com o que você contou. 😉
    Abraço!

  2. SIRLENE CONTEZINI disse:

    Bom dia
    gostaria de saber se as expedições para escalada do vulcão estão normalizadas devido a sua erupção em 2015 e, se possível informar melhores data apesar de pretender ir em abril.2017 🙂
    obrigada

  3. Sergio Debiazio disse:

    Estou programando uma viagem para a região no início de novembro. Gostaríamos de fazer a escalada no vulcão. Precisa fazer agendamento prévio ou pode ser realizado em Pucon? Essa época há muita procura de turistas pela região? Poderia indicar alguma agência de turismo para maiores informações sobre a região? Muito obrigado

  4. GISELE disse:

    Eu subi até o vulcão Villarica!!! Foi show!
    Em janeiro de 2016, tinha neve e toquei a neve.
    Achei que não ia encontrar neve, a cidade oferece muitas atrações!

    • carlos lino disse:

      OLá. Tenho programado para ir em setembro para aquela região. Vc indicaria pucon ou villarrica para se hospedar? Vc desceu no aeroporto de temuco ? pois os voos para lá são poucos e com horários um pouco ruins,,,perde-se muito do dia. Penso, omo alternativa, em ir de bus desde santiago. Estou reunindo o máximo de informações possiveis sobre a região pois terei uns 3 dias uteis para passeio, assim, agradeço as dicas, um abraço .

  5. Gabriel disse:

    Oi Ricardo tinha algum tipo de preparo quando subiu? Estou em Pucon, mas não sei se dou conta de subir, não pratico nenhum esporte regularmente

  6. Fernanda Bueno disse:

    Oi Ricardo,

    A neve cobre permanente o topo do vulcão?
    Vou em meados de maio e pensei em ir para Puerto Varas com receio de não conseguir ver neve em Púcon.

    Obrigada

  7. Renan disse:

    Olá. Bacana seu relato. Você foi em que época do ano? No fim de abril tem neve no vulcão?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *